Busca

Debora King

Categoria

Projeto de Português

O leitor vira escritor

Como habitual, quem me visita costuma me ler.

Mas hoje quero algo diferente, quero ler quem me lê.

O desafio é o seguinte: vou propor um início, vocês dão sequência. Os melhores eu vou fazer a revisão ortográfica e postarei aqui no blog ao longo dos próximos dias. (sim, porque não posso premiar ninguém ainda, quando famosa e rhyca, quem sabe…)

Vou aceitar os textos pelo e-mail: teacherdebora@live.com Sob o assunto: O leitor vira escritor. Os textos podem ser mandados em qualquer formato (doc, docx, pdf…) até o último dia do mês de setembro.

Então eis a proposta (a ser personalizada a critério, já que escrevi em discurso direto para quem vai escrever):

 

     Um dia acordas, pensando estar na tua cama – afinal foi nela que deitaste antes de ferrar no sono – e te encontras em um ambiente sem portas nem janelas, só o céu fica visível. É um grande quadrado 5×5, completamente  branco, com a cama e mais nada.

No desespero, levantas e encontras os únicos dois objetos da peça (além da cama e do travesseiro): um lápis e um bloco de anotações sem linhas, todo branco.

 

 

Anúncios

Semana 2 (Séries Iniciais)

Lembra o homem que abandonou a gatinha? Pois bem… esta semana falarei a respeito dele novamente.

Em mais uma manhã de café na janela, revi o tal homem. E revi ele fazendo a mesma coisa: colocou ração no muro, afagou a gata e partiu.

Mas desta vez eu esperei e observei o comportamento da gatinha ao terminar de comer.

Ao acabar de comer, a gata desceu do muro e foi embora, tomando o caminho que ela tinha usado para vir, ou seja, o caminho de casa. Agora tudo fez sentido!

O homem não era mau, ele simplesmente não poderia levar a gata com ele (para o trabalho). E como alternativa para não deixá-la seguí-lo, ele dá comida no muro do vizinho.

Comecei a observar diariamente e vi que a rotina da gata e do seu dono é sempre a mesma. E sempre nos mesmos horários.

Me senti envergonhada de ter julgado o homem sem saber a história dele e do seu bichinho de estimação.

Semana 1 (Séries Iniciais)

Nesta semana o que mais me chocou foi um fato que assisti da janela do meu apartamento em uma terça de manhã.

Vi um senhor de casaco, que ia saindo para trabalhar. Ao lado dele vinha caminhando uma gatinha de três cores. Engraçado de ver, já que gatos não costumam seguir seus donos.

Foi quando o homem parou na frente de um muro e colocou a mão no bolso esquerdo do casaco. Tirou dali uma sacola plástica. Colocando a mão dentro da sacola, ele retirou dali o punhado de algo que eu não conseguia ver o que poderia ser e despejou a “coisa”, no tal muro.

Desconfiada, continuei olhando o homem que agora pegava a gatinha no colo e colocava-a sobre o muro onde ele havia despejado alguma coisa difícil de enxergar.

Era ração!!!

Descobri porque a gatinha começou a comer “aquilo” que tinha no muro.

O homem afagou a gatinha, botou a sacola plástica no bolso e … foi embora! Fugiu da gatinha enquanto ela comia!

Da janela eu me contorcia de ódio daquele homem que foi embora sem nem olhar para trás. E se a comida estivesse envenenada? Pobre da gatinha!

Fiquei de coração partido com o que eu vi, mas tendo dois gatos eu não posso adotar mais um. Pensei em todos os bichinhos que são abandonados assim… e se fizesse frio? E se chovesse? E se alguém fizesse algo de mau?  A gatinha é indefesa.

Saí da minha janela com os olhos marejados e fui me vestir porque precisava sair para trabalhar… não sem antes dar uma beijoca de tchau em meus dois bebês: Morfeu e Milk Shake.

Projetos de escrita

Não sou de comentar por aqui, mas tenho um Projeto de Português com turmas de séries iniciais do Ensino Fundamental. E como toda professora de projeto, tenho ideias mirabolantes que acabam sendo aprovadas pela diretora e são colocadas em prática.

Bom, pois tive uma ideia para aplicar em Produção Textual com o Ensino Médio que acabou se mostrando plenamente aplicável aos miúdos.

Eis a ideia: Um caderninho brochura para os alunos deslindarem suas impressões sobre o assunto que mais pareceu polêmico para eles ao longo da semana corrente. Simples assim. Abre o caderno, referencia a semana e bota as ideias e opiniões no papel. Para o Médio eu pedi frente e verso de uma folhinha do tal caderno, coisa bem simples. Pros pequenos pedi só frente.

Por que essa ideia paralela aos trabalhos semanais? Simples, porque penso que a escrita se aprimora não só pela leitura, mas pela própria prática constante dela. E já que a prática escrita dos alunos se resume a twitter, tumblr e facebook, decidi fazê-los confrontarem a escrita pela escrita. Papel e caneta.

Claro que a parte de correção é insana, porque eu corrijo caderno por caderno, verificando ortografia, pontuação e todos os detalhes. No final, ao invés de tentar matar os alunos com uma caneta vermelha, escrevo bilhetinhos opinando sobre o assunto, sugerindo mudanças mais técnicas e incentivando para obter mais escritos na semana seguinte.

Só que o mais legal de tudo é que eu também fui desafiada a ter meu caderninho. Então eu também estou produzindo para os alunos. Portanto, a partir desta semana, toda quarta-feira vai entrar um texto da semana. Vou categorizar como Projeto de Português (são os pequeninos) e Produção textual (são os marmanjos do Médio). Nessas categorias vou expôr o MEU texto da semana, até para acesso dos alunos que não conseguiram pegar meu caderno (já perdi dois cadernos).

Peço, a quem me acompanhe, que opine e dê ideias. Está aberto o projeto de escrita da Debs!

Acima ↑