vv01

Antes que haja a fuga para o recreio, vamos conversar. Vênus em Virgem é perseguida pelos mitos horrendos que rezam a imagem de uma pessoa sem coração, inacessível, com a perseguida incendiando debaixo da cortina e das tias solteironas que perguntam dos namoradinhos. Agora onde entra a questão do professor? Exatamente onde se encerra o mito.

Vênus rege as relações, de uma forma geral, em vários níveis afetivos, incluindo o sexual. Mais informações aqui. Quando em Virgem, o tão amado planetinha vira um paradoxo. Vênus em Virgem estuda o que deveria ser sentido. Ou seja, uma visão racional de coisas que só se projetam a nível sentimental. As consequências disso são várias, porém não são devastadoras como pregam as JoãoBiduzetes.

A consequência mais crucial desta Vênus é justamente o olhar crítico sobre tudo o que rege as relações, o que cria uma barreira para quem ouse se aproximar. Quem está tentando uma vaga no coração dessa vênus, não leia isso como uma dificuldade, mas como um desafio. Você está passando por uma avaliação minuciosa, mas isso não é de graça. Poderíamos comparar a pessoa que possui essa Vênus a uma princesa cheia de dotes que aguarda o príncipe que vai lhe resgatar da torre.

Esta que vos escreve é uma Vênus em Virgem, e embora possa soar um tanto bairrista, procurei manter a imparcialidade do texto com base no que aprendi de tanto apanhar para esta Vênus. Como boa analista das relações humanas, apenas a teoria astrológica não me bastou e passei a analisar o comportamento das Vênus em Virgem dentro dos tópicos do grupo da Astrozona e via inbox com perguntas diretas e desabafos extensos que me permitiram, respeitando os aspectos de Vênus com demais planetas, criar um padrão dessa tão mal falada forma de amar. Foram entrevistados 10 voluntários da Astrozona. Eu me isentei.

vv02
Algumas Vênus se manifestando acerca de si mesmas e a visão das relações.

Quando questionados sobre qual foi a principal influência desta Vênus na vida afetiva, a reação unânime foi a mesma: o relato das poucas relações afetivas. A maioria dos entrevistados mencionou relacionamentos afetivos na área do amor romântico, pouco se falou em amizades, mas quando questionados, a regra se aplicava a qualquer relação que envolvesse-os emocionalmente em qualquer nível.

– acerca dos afetos –

O nativo desta Vênus tem dificuldades em se entregar rápido, porque existem coisas a serem analisadas, pré-requisitos a serem cumpridos e rituais, muitos rituais até que se consiga sentir confortável e seguro o suficiente para a entrega. Ou seja, aquela casca de feijão no dente, aquele palavrão na hora errada, a guimba do cigarro jogada no chão ao invés de no lixo podem ser fatores determinantes para o sucesso ou o fracasso na conquista a uma Vênus em Virgo. É o idealismo de uma figura de perfeição que entra em ação, fazendo com que não tolerem pessoas sem conteúdo, com problemas de asseio ou fáceis demais na entrega. Chamou a menina de “gatinha assanhada” na primeira noite de balada? Perdeu a Vênus.

Além do ritual de acasalamento em slow motion, este ser que analisa cada centímetro seu e arquiva os dados tem um poder surreal de não saber falar o que se passa dentro da caixinha torácica. Sim, é o Asperger do zodíaco.  Sabe o cara aquele com TOC falando da falta da mulher? É a figura da Vênus Virginiana. Ele sabe do amor da mulher por ele pela forma que ela lhe sorri, não pelas palavras ditas. São assim os nativos. “Oi, que bom que tu chegaste!” – isto equivale a um eu te amo se for efusivo o suficiente. Vindo desta Vênus, é um milagre.

Por não saber falar de amor, a Vênus em Virgem costuma agir, e nas ações mostra o amor mais real e sincero que o zodíaco poderá ver. Costuma-se relacionar amor ao coração (emocional) e não à cabeça (racional), no caso desta Vênus, quando o amor acontece, cabeça e coração se fundem numa coisa só. E quando esta entrega se dá, os filtros diminuem e a Vênus passa por uma cegueira que torna tudo possível para manter aquela pessoa ao lado dela E SATISFEITA. Sim, a Vênus Virginiana tem por ideal romântico fazer seu par feliz, e este é o grande prêmio de quem passou no processo seletivo. Um amor pragmático, servil, sincero. Não falo de submissão, o amor não é submisso, mas é o amor que tem prazer em se doar pelo outro sem pedir nada em troca.

Obvio que tudo não é um mar de rosas… e a banda podre desse amor desprendido de si é o fato de, além de querer o bem estar do parceiro, querer que o parceiro se aperfeiçoe enquanto ser humano. Isso torna os regidos desta Vênus em imãs para pessoas problemáticas (como dito por uma entrevistada: será que as pessoas que são cheias de problemas ou nós, problemáticas, que vemos problemas em tudo?) e por serem imãs, acabam por tentarem mudar estes parceiros para melhor. É o par que pede que faças um curso de pós-graduação, que te ensina a passar a roupa, que te ajuda a parar de fumar e a emagrecer. E também o teu maior crítico. Quem não tem paciência ou não quer melhorar, já tinha tido tempo de fugir, agora já era.

E os finais de relacionamento são a parte pior. É tanto trabalho, é tanta análise, é um relacionamento dissecado a cada minuto (Por que eu? O que te atraiu em mim? Como te sentes ao meu lado?) e que como tudo, perece. Inadmissível. A Vênus fez tudo o que pôde em prol do relacionamento perfeito do comercial de margarina, como foi que esta tragédia recaiu sobre nós??? Ela vai se comportar de acordo com outros fatores do mapa do indivíduo, mas o padrão comum a todas é que os questionamentos vão assolar o regido por uns bons dias, até semanas. Onde foi o erro? O que ocasionou isso? Por que o relacionamento acabou? E enquanto este banco de dados não for atualizado com a informação correta, existe uma certa obsessão silenciosa pela ex-vítima.

Também já ouvi relatos de Vênus que se forçou a ficar num relacionamento falido na esperança de resgatar não só a alma do parceiro, mas também a relação. Um esforço desesperado pra manter em pé o que já havia desabado. Isso é recorrente em alguns casos. A necessidade de não se permitir falhar cria indivíduos que precisam manter o relacionamento a todo o custo, mesmo que sacrifiquem a autoimagem.

-acerca da vida sexual-

O mito da devassidão também não procede da forma como o padre reza. Nativos desta Vênus são muito resguardados na área sexual(incluindo beijo). A maioria das pessoas com quem tive contato, perdeu a virgindade depois dos 20 e teve menos de 5 parceiros sexuais. Não se entregam se não houver confiança. Isso vem junto com o relacionamento, é o mesmo procedimento. Se o candidato oferece segurança e confiança, existe a entrega do corpo e da alma. Do contrário, tudo é silêncio. Porém, talvez por conta dos longos hiatos, a Vênus em Virgem acaba sendo a mais devassa na cama, a entrega é muito intensa e, como parte de fazer bem ao parceiro, o sexo também é digno de honras.  Dias e noites de muito sexo caliente e sem-vergonhice entre quatro paredes garantidos, verifique sua saúde física antes de conquistar esta Vênus, haja resistência.

Cabe que se diga que, quando Vênus faz aspecto com Saturno, é possível que o nativo se sinta alheio aos prazeres carnais, o que não faz com que a postura seja diferente em termos sexuais, porém quando sozinho, tem tendência a não sentir vontade alguma de sexo.

hiatos e vontades-

Os relacionamentos desta Vênus são muito espaçados, os hiatos são grandes e o tempo sozinho acaba superando o tempo namorando ou em outras modalidades de relacionamento. E, como humanos que somos, natural que os hormônios solicitem sexo. Não existe sexo casual para a maioria das Vênus Virginianas. E se existe, a ressaca moral mora ao lado.

Toda Vênus em Virgem vai ter seu momento de devassidão, em que os hormônios falarão mais alto e ela automaticamente cairá no fosso dos crocodilos pra escolher o primeiro que passar para ajudar a resolver o problema do corpo febril. Quando tudo acabar e o parceiro “caçado” for embora, a Vênus se devasta e se culpa.

Como resolver quando o corpo grita, então? Esta é uma questão difícil… dos entrevistados, parte alegou se resolver ahn… “se tocando”. Parte disse  não querer responder e parte disse não fazer nada, porque sem um “escolhido” não existe vontade.

– acerca do flerte-

A Vênus em Virgo flerta, acreditem. Porém, como já bem reconhecido, o índice de criticidade é altíssimo e acaba faltando mais iniciativa para “chegar junto”. Essa Vênus adora ser cortejada, ainda mais se estiver se interessando de verdade na pessoa que a corteja, mas a coragem de dar a cara pra bater inexiste. Ou seja, iniciativa também acaba se tornando pré-requisito, visto que se depender dela, o jogo fica no zero a zero. Isto se relaciona à insegurança, à baixa autoestima e ao medo do não, imagina ter um fora no currículo? Se quiser um convite para namorar vindo de um nativo, é melhor sentar e esperar.

-acerca da autocrítica-

“Impossível julgar o outro e não fazer julgamento sobre si mesmo. Se eu julgo os outros com tanto afinco e precisão, porque eu não vou me julgar de forma ainda pior?” Esse pensamento é o que justifica a baixa autoestima e a insegurança desta Vênus. Os caras não leem direito a imagem que enxergam no espelho, não se aceitam, não enxergam NENHUMA qualidade acerca de si mesmos, o que complica ainda mais a vida sentimental. Em casos mais extremos, relatos mencionam o fato de serem tão imperfeitos que desistiram do relacionamento em andamento ou em fase de estabelecimento porque não eram dignos da suposta perfeição do parceiro. A tendência a problemas com a autoimagem de fato ocorre, fazendo com que timidez e medo da avaliação alheia se tornem fantasmas sempre presentes.

-as exceções

Conheci casos totalmente fora dos padrões acima descritos, com uma visão mais livre da coisa toda. E achei incríveis as soluções que algumas pessoas acharam para lidar com esse amor racional. Um dos casos foi uma menina que me contou namorar 3 caras, sem que um soubesse do outro, montando, pedaço a pedaço, o namorado perfeito, com um pouco de cada um. Super faceira, sexualmente ativa e bem resolvida.

Também ouvi outra que optou pelo celibato completo, para não ter que passar pelos processos avaliativos que, de acordo com ela, desgastavam ela demais. Muito bem resolvida também, deve o sucesso acadêmico e profissional à Vênus que a “protegeu” de entrar nessa “roubada” de amar alguém.

Há de se considerar que são casos em que o mapa contribui para isso. Ao mesmo tempo que vi gente feliz e bem resolvida, também vi gente que não se conforma e vê o planeta como um castigo a níveis kármicos.

os contras-

Como qualquer mortal, esse pessoal Vênus em Virgo quer amar livremente, quer ter uma história linda com final feliz e quer ser correspondido à altura. Gostam de amar, gostam de se abrir em uma relação e são apaixonados por se apaixonarem. Mas não conseguem, fundir razão e emoção demanda demais da mente e do coração… mas eles seguem tentando. E toda essa avaliação do parceiro nada mais é do que uma forma de protegerem a si mesmos de sofrer depois, já que o final é um erro e como erro que é deve ser estudado e nunca repetido.

Um dos piores contras são justamente as pessoas que sabem do que se trata a tal Vênus e evitam as Vênus em Virgem por sentirem a força da falta de acesso ao íntimo destes regidos. Vamos abrir a mente, pessoal! Esta gente racional precisa sair da torre onde estão trancados, por que não tentar uma conquista? Pressa não ajuda em nada, pelo contrário, desinteressa. Aceitem, em doses homeopáticas, a avaliação dessas pessoas, as recompensas são boas, e se vocês souberem entender as lições dadas por esta Vênus, podem crescer enquanto pessoas, o que é mais duradouro e importante a longo prazo do que um relacionamento que pode acabar amanhã, ou hoje, ou nunca.

-os prós-

Vênus em Virgem pouco se decepciona, já que não desce nunca pro play. Também são os melhores conselheiros sentimentais do zodíaco, já que o olho clínico aponta com precisão cirúrgica as possibilidades dos relacionamentos dos amigos darem certo. Também são amigos, irmãos, filhos muito leais. A servidão se estende às amizades e relações familiares, bem como as avaliações.

Relembrando a menção à Mira no começo do artigo, o maior pró desta Vênus é justamente ensinar ao resto do Sistema Solar a parte técnica do amor, os mecanismos das relações. O Asperger zodiacal tem uma visão peculiar, porém clara de tudo isso o que todos sentem.

Os excluídos do amor não entendem a facilidade de amar e desamar, mas entendem dos processos que levam a isso, falam de hormônios para justificar o amor, dissecam sorrisos para explicar afetos e investigam olhares com precisão suficiente para dizer se o seu reflexo apareceu no brilho daquele olho. E o que seria o amor senão as reações corporais que nos estimulam e nos dão prazer?  E como falar para o outro que os neurônios reagem diferente diante da visão dele?

Na ausência das palavras, os atos compensam. Se for sentido que essa eletricidade que percorre o peito da Vênus Virginiana se estende ao peito do parceiro, é festa para os astros, e mais demonstrações práticas para brindar todo esse amor racional.

Anúncios