Esses dias, conversando sobre desilusões amorosas, fiquei tentando me lembrar quando foi a minha primeira desilusão. Não precisava ser uma grande, mas precisava ser uma desilusão, mesmo que em um nível menor… aí eu me lembrei  e ri.

Minha primeira desilusão não foi nem minha. Pra ser sincera, foi de alguém que eu nem conhecia, mas me fez chorar por horas…

Sente só o drama: em 1994, 1995, sei lá, eu ganhei dos meus pais o lançamento de Sandy & Júnior daquele ano, o “pra dançar com você”. Eu, com meus 8 ou 9 anos, adoraaava Sandijunior. Achava o máximo aquelas duas crianças que cresciam junto comigo, já que a Mônica e a Magali eu tinha feito a magia de conseguir passar da idade delas (inocência triste).

No tal cd tinha a música “Filme Triste” , que também não era deles, era da moça do Estúpido Cupido (pra longe de mim), a Celly Campelo. A música dizia algo tipo isso:

Meu broto me avisou que ia estudar (aiaiaiai)
E ao cinema eu fui me distrair (aiaiaiai)
Ao chegar nem quis acreditar, eu vi meu bem sentado com alguém em frente a mim.
Os dois agarradinhos eu notei (aiaiaiai)
A minha melhor amiga me traiu. (aiaiaiai)
Trocavam beijos e eu quase morri.
E do princípio ao fim do filme eu chorei

OuOuOu
Filme triste que me fez chorar

E ao chegar em casa mamãe viu (aiaiaiai)
Os meus olhos vermelhos de chorar (aiaiaiai)
E abraçada a ela eu expliquei que o filme foi tão triste que eu até chorei…

E a Deborinha, desde muito novinha presa às palavras, ouvia com atenção à música que tinha até um trecho da trilha de ET no meio, quase que morre quando descobre que a melhor amiga era uma piranha traidora cachorra sem-vergonha. Pobre Deborinha, chorava de soluçar! Que desilusão, coitadinha da Sandijunior!!! Como me doía aquilo. Chorei junto cantarolando ououououfilmetriiiisteeeeeequemefezchoraaaar snif!

Minha mãe, coitada… a essas alturas nem se surpreendia mais com meus surtos de loucura, veio ver o que acontecia que eu tanto chorava e soluçava com aquele cd na mão e os headphones nos ouvidos. Claro que eu precisava manter a mentira…

– Mãe, o filme foi tão triste… que até EU chorei.

Anúncios