Me lembro que, aos 13 anos, fui doentiamente apaixonada por um menino da minha escola. Eu estava na sétima série, ele na oitava. Era um abobado, coitado… mas aqueles olhos azuis dele faziam com que todas as noites eu deitasse a cabeça no travesseiro e sonhasse com o dia que ele pegaria na minha mão e diria que gostava de mim também.

Recordo que eu tinha “agentes” que tiravam fotos dele e me davam, arrancavam informações que eu queria sobre ele e me mantinham atualizada sobre ele estar com alguém naqueles dias. Era engraçado que eu não tinha coragem de dar um “oi” pra ele, imagina! Ele saberia que eu estava apaixonadíssima nele! É, eu era uma guria de 13 anos com um retardo, fato.

Quando ele fez 15 anos, em outubro daquele ano, mandei entregar a ele uma carta lindíssima. Na realidade, eram duas cartas. Uma era quilométrica, com “eu te amo” repetido milhões de vezes entre trechos de poesias de Shakespeare e trechos de músicas que tocavam naquele período e eu mesma havia traduzido como prova de amor…acompanhando a master cartona, ia uma carta minha, completamente autoral, deslindando todo o amor infinito e imortal que eu sentia por ele.

Entregue a carta, ele soube quem eu era e passou a fugir de mim na escola. Não conversávamos, não tínhamos contato nenhum, mas ele passou a fugir do meu campo de visão. Eu sofria horrores pela falta de consideração dele. Não preciso dizer que em pouco tempo me recuperei e tudo o que eu queria era que ele me devolvesse a carta em que eu me declarava. Como eu podia ter escrito coisas tão lindas pra um cara tão infantil? Que ódio me dava.

Hoje em dia, com … 19 anos, percebo que eu amadureci, mas os caras continuam com os mesmos problemas. Canso de ver caras com 25, 30 anos que fogem das mulheres com quem estão tendo seus casos no exato momento em que elas decidem abrir o coração. É como um eterno berçário masculino.

Fico tentando entender os processos mentais que se desenrolam na cabeça de um ser humano que foge apenas porque há sentimento. Alô! Os tempos são outros, uma mulher gostar de um cara não quer dizer que ela quer altar, vestido branco e alianças. A maioria das mulheres já se desprendeu disso.

Se permitam mais, rapazes, vocês podem estar perdendo bons momentos (temporários) com uma mulher legal apenas por serem infantis!

Ah, e o carinha aquele? Pois então… reencontrei ele mais de 10 anos depois e ele se sentiu atraído por mim. Disse ainda ter a carta quilométrica e apelou até pro questionamento emocional “não consigo acreditar que tudo aquilo que sentias por mim tenha morrido por completo”.

Sorry, guy: TU mataste.

É… as voltas que a vida dá.

Anúncios